sábado, 19 de fevereiro de 2011

CASEBRE ABANDONADO

Cheguei a ti,
cansada...
exausta...
morta.


Vi em ti
o reflexo de mim.

Já houve tempo em que eramos belas, firmes, desejadas, amadas.

Nossos corpos acolhiam outros corpos!
Neles se aconchegavam em noites de temporal,
amantes em desejos proibidos.

Na primavera,
A sombra dessa àrvore,
antes lexuriante,
risos de criança,
faziam cócegas nos nossos corpos.

Fomos nos meses de calor
a brisa ao entardecer...
e corpos transpirados
Refrescavam em repouso!

Fomos tudo para todos!

Passou o tempo...
E o tempo ingrato
cravou um punhal no meu e no teu corpo.

Somos hoje casebres abandonados,
desventrados
desnudados de vida...

Somos apenas o momento fotográfico, a preto e branco,
de uma vida colorida que o tempo transformou!

EME
Foto gentilmente cedida por José Neves

2 comentários:

  1. Belo Poema Elsa!
    Acho que não se aplica a ti!!!
    Bela Foto!
    Parabéns pelo Blog.~
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  2. Sem palavras...
    Um poema simplesmente fantástico, uma conjugação perfeita entre fotografia e poesia.
    Um bem haja para ti minha amiga, o meu sincero agradecimento pela partilha.

    JNeves

    ResponderEliminar