segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

CAVALEIRA ANDANTE

Caminharei por esses trilhos como cavaleira errante, montada no meu cavalo de sonhos.


  Entrarei em florestas virgens e desbravarei a escuridão com a espada da minha coragem.


 Ouvirei no silêncio da minha solidão, vozes do meu amor e conquistarei todas a melodias.


 Transformarei todas as sombras em vida e serei a feiticeira de poçoes de mágicas de encantar.





Tocarei harpa em acordes doces suaves e neste encantamento,descansarás a tua alma.


Abandonarás a dor, a tristeza, a solidão...


Serei musgo , serei orvalho, serei raio de sol, serei o caminho que te levará de volta a prados verdejantes!





Sou uma cavaleira errante...


Parto de novo por caminhos desconhecidos...


Levo comigo a tua escuridão.


Vou abandoná-la no lugar mais inóspido que encontar.


 Escreverei no vento, o teu nome!
As coordenadas do teu prado verdejante!
A brisa soprará suavemente
Pisarás musgo macio
As tuas flores beberão o orvalho da manhã
O sol aquecerá a tua pele para nunca mais sentires o frio da solidão!

Sou uma cavaleira andante que cavalgou no dorso dos sonhos
E, numa floresta virgem, te encontrou!
EME




Sem comentários:

Enviar um comentário