segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O HOMEM DE BARBAS BRANCAS QUE USAVA CHAPÉU

Cruzei com um homem de barbas brancas!
Seu rosto parecia uma montanha cheia de sulcos que a neve branca tinha coberto.
Seus olhos, verdes, enormes traziam histórias de uma vida plena.Neles brilhavam ainda a esperança, a vontade de pegar na vida e torná-la sua amante.
Olhou-me!
Deixei que o seu olhar cativasse o meu e, de forma maliciosa, entrei na sua alma!
Encontrei a dor logo ali, sentada à entrada!
A solidão estava estendida, como se de uma carpete tratasse!
Entrei devagar para não assustar os fantasmas.Queria travar conhecimento com cada um e tratá-los por tu!
Mais à frente encontrei numa biblioteca...livros, muitos livros!Cada um com um nome inscrito : A Constança, A Paula, a Teresa, o Zé, o Manuel e por aí adiante.Estavam catalogados, ordenados, expostos numa harmonia sinfónica.
Havia livros que pareciam novos, como se tivessem sido comprados apenas para exposição.Havia outros que tinham sido abertos, fechados, reabertos, lidos e relidos.Estavam gastos de tanto uso.
Continuei a minha viagem pela alma deste homem de barba branca!
Entrei em labirintos, quartos escuros, corredores infindáveis!
Por fim, sem que desse conta, entrei num jardim!E que jardim!Ali estavam todas as flores, todos os odores, todas as cores...tudo intacto!Vi um banco num recanto...sentei-me para admirar aquele lugar tão escondido nesta alma.Pensei: será que todos aqueles livros alguma vez foram lidos aqui, neste jardim?Se sim, então porque não estão aqui, espalhados pelos canteiros, abertos nestes recantos floridos?
Deixei-me ficar...
Fui ficando....
E, quando quis regressar, estava presa num jardim que crescia dentro da alma de um homem de barba branca, como flocos de neve e que , quando me olhou, tinha na cabeça um chapéu!
EME
FOTO DE EME
 

Sem comentários:

Enviar um comentário