quarta-feira, 30 de março de 2011

LABIRINTO EM MIM


"The Eternity of Morning"
Não encontro o caminho…
                                        Estou perdida neste labirinto
Tapado de heras
                         De verdejantes sebes
Curvo aqui…
                    Retorno ali…
Em todos os cantos
                             Vejo saídas
São ilusões de óptica
                              Miragens desérticas
Continuo…
                 Em labirinto de Sentires
Presa em finos fios de seda
                                       Tecidos por ti
Espaço sideral
                     Tempo cósmico
(In) sustentável leveza
                               Do Ser
Meu
      E
        Teu…
Estou perdida…
                      Vou ficar
Assim…
             Envolvida pelo teu olhar
                                               Que ilumina o meu corpo
Possuída pelo pulsar do teu desejo
                                               Que brota em mim
                                                                       Em seiva de um madrugar
Labirinto…
                Estou perdida…
                                        De mim
Estou em ti!


EME

segunda-feira, 28 de março de 2011

ALONE


Foto by Simão Carvalho in "Instagram 2" - ALONE

Vi-te assim, despojada, abandonada, suja!
Escondi-me. Não queria que soubesses que estava ali.
Queria roubar-te a solidão, captá-la, gravar na memória o teu despojamento perante a vida.
Terás sido sempre assim?
Possivelmente, tiveste uma vida colorida e, algures nesse caminho, perdes a mala que transportava a conjugação do verbo Amar.
Quis o teu olhar…estava tão vazio que ficou um fantasma.
Sobrou o teu corpo, espectro de noites frias ao luar, de dias sem horas.
Vi-te…
Será que me viste?
Talvez não!
Sou apenas um fantasma neste passeio, a roubar-te a solidão!
EME


sábado, 26 de março de 2011

MUDANÇA EM CADEIA

Sou profundamente crente nas pessoas e na sua capacidade de ultrapassar adversidades. É perante os grandes desafios que nos excedemos e assim, conseguimos vencer.
Como diz Ortega & Gasset :” Eu sou eu mais a minha circunstância”.Neste sentido, as circunstâncias que me envolvem, definem aquilo que Sou e como Sou.
O caminho mais fácil e, infelizmente, tão usual na nossa sociedade, é a crítica sem soluções; é culpar os outros, julgando que a priori, somos vítimas das circunstâncias e, por isso, a responsabilidade nunca é nossa.
Tem sido esta atitude que tem permitido o aparecimento de fenómenos sociais que todos nós, julgamos como insustentáveis. Mas, no comodismo típico de quem tem “mais que fazer”, sublimamos essas questões e colocamos nas mãos dos outros, a resolução desses problemas.
ERRADO…PROFUNDAMENTE ERRADO!
Talvez por educação, talvez por formação, talvez por trabalhar numa Organização que diariamente, nos coloca desafios e nesse sentido, obrigamos a ser profundamente proactivos, o que sei é que sou incapaz de achar que a responsabilidade é sempre “…do outro”!
Se acho que algo está errado, tenho a obrigação moral de o dizer, mas principalmente de apresentar alternativas de forma a encontrar novos caminhos, novas dinâmicas. Não suporto ouvir a lamechice que tudo está mal, mas quando se pergunta: o que propõe? – Resposta fatal: sei lá isso não é comigo!!!
Ontem, aqui no FB, através de uma amiga, recordei um filme “Favores em cadeia”!
Neste filme, uma criança pedia apenas que cada um fizesse alguém feliz, que por sua vez, faria feliz outra e por aí adiante. Fórmula chocantemente simples, mas verdadeiramente eficaz. Reportando este exemplo para defender a minha reflexão, afirmo: SE CADA UM DE NÓS FIZER APENAS UMA MUDANÇA, NO FIM TEREMOS MUDADO O MUNDO! “MUDANÇA EM CADEIA”
E, tal como no deserto, um pequeno grão de areia hoje, dará amanhã uma grande duna, cabe a cada um transformar-se num pequeno grão de areia. Se  amanhã tiver outro grão de areia ao pé de mim, já terei feito parte dessa “MUDANÇA EM CADEIA”
Quanto a mim, prefiro que um dia os meus filhos digam:
- A mamã lutou  no passado, para que o nosso presente fosse melhor.
E a diferença disso reside no facto de lhes ter deixado a melhor e maior herança: SER EXEMPLO.
Boa noite a todos
EME

sexta-feira, 25 de março de 2011

MEMÓRIAS DE UMA NOITE NUM CAFÉ EM PARIS


Foto by Simão Carvalho in "Au comptoir" - Royal Pereire

Preâmbulo

Hoje, por mera coincidência, ao visualizar o álbum de fotografias "Au comptoir" de Simão Carvalho, deparei-me a foto de um café parisiense. De imediato a minha memória retrocedeu no tempo.
Há muitos anos, desloquei-me a Paris em trabalho. Acompanhavam-me vários colegas e, por coincidência, vivia em Paris, nessa altura, um grande amigo.
Atendendo que era a primeira vez que me encontrava na Cidade das Luzes, o Paulo, ofereceu-se para me guiar, nas horas livres, pelas ruas e lugares de Paris. Durante essa semana, tive direito a um cicerone de luxo. Conheci tudo ou quase tudo. Não houve lugar e recanto desta cidade que não me levasse. Às tantas da noite, quando chegava ao hotel, cansada, mas felicíssima, pegava num bloco e escrevia o diário do passeio. Foi assim durante 5 dias.
Numa das noites nevava (estávamos no início de Janeiro). Depois de deambularmos por Montparnasse, com dois graus negativos, o frio venceu-nos e fomos parar a um cafezinho, muito acolhedor, típico em Paris. Sentamo-nos com uma bebida bem quente à frente:  eu, dois colegas e este meu grande amigo.
O cenário era quase idílico: cores de carmim envolvia-nos, temperatura acolhedora, quente. Lá fora, flocos de neve coloriam a rua e ao fundo, a Torre Eiffel, iluminada, imponente!
Não sei se foi o ambiente, a envolvência íntima daquele lugar, apenas sei que, quando demos contar, estávamos num debate acalorado, melhor, apaixonante sobre a Vida, os Valores, as Relações humanas, a Filosofia...enfim, temas que fazem a diferença entre um serão assim, assim e uma noite inesquecível!
A diversidade intelectual presente naquela mesa, não poderia ser maior: um estudante de medicina, um gestor, uma engenheira têxtil e eu, de filosofia, a iniciar uma carreira no mundo da distribuição (estranho no mínimo ).Esta "salada russa" deu uma das noites mais interessantes da minha vida a nível intelectual.
Após ter chegado ao hotel, por volta das 2 horas da manhã, sentei-me na cama e escrevi o diário dessa noite.
E é esse pequeno texto que se encontra num velho bloco de notas que agora transcrevo, sem antes agradecer, mais uma vez ao Simão Carvalho, a possibilidade que me deu de viajar no tempo com a sua foto. Bem-haja Simão!

EME

segunda-feira, 21 de março de 2011

ESCRITA...IRMÃ DA MINHA ALMA

Foto EME ( Recantos)




No recanto deste lugar, onde os sons da primavera rasgam o silêncio, estou entregue a uma doce e saudável solidão.
Decidi vestir o meu vestido mais colorido.Tenho que entrar na Primavera cheia de cores para dar as boas vindas ao desabrochar da vida.
Óculos escuros...chapéu na cabeça. Pareço uma modeloSorrio...que vaidade...mas o momento merece isso!
Quero-me elegante, quero-me sensual, quero-me viva...
Não é a primeira vez que nos encontramos, aliás, estou sempre junto a ela. Mas hoje, é um dia especial!
É a primeira vez que nos vemos na Primavera.
Sinto a sua presença, ali...bem perto de mim! Quero olhá-la, abraçá-la, dizer-lhe que sem ela, a minha alma fica estéril, sem ela a minha vida fica incompleta.
Conheces-me bem...És irmã da minha alma...cúmplices... Sou em Ti, como És em Mim!
Nos recantos do meu Sentir, vens em meu auxílio. Ofereces-me a tua mão e no silêncio das palavras, embalas a dor, realizas o sonho!
Sou, verdadeiramente, Eu em Ti!
Despojo-me da vergonha, do pudor, do preconceito, do pré-definido e deixo fluir o meu Ser, nú, puro, livre.
Faço-te amante nas longas noites serenas.
Uso-te em forma de conhecimento, uso-te em forma de saber, mas é na forma do sentir que és mais verdadeira, reflexo de múltiplos heterónimos.
Não és perfeita, tal como também não sou.
E que importa a perfeição? - Não a quero!
Prefiro esse caminhar incerto, muitas vezes obscuro, mas profundamente libertador.

Viveste escondida numa caixa de pândora que, por magia, foi aberta e hoje, mutilar-me-ia se te encarcerasse.
Por cada letra, por cada palavra, re-invento-me, re-defino-me numa dialéctica em construção.
No final desse caminho, seremos folhas amareladas pelo tempo e estaremos apagadas na memória dos homens...mas algures num tempo que não é nosso, um trovador cantará a nossa história na forma de poesia!

EME

DIA DA POESIA

Foto ( autor desconhecido)

 Não sou poeta!
Sou simplesmente Aprendiz da escrita!

Hoje, em primavera
Visto meu corpo
De pétalas,
Perfumo meu corpo
Com cheiro a jasmim
E saio à rua.

Levo o pensamento
Cheio de palavras
Que num recanto qualquer,
Serão minha companhia!

Declamarei-me
Ao vento que passa,
Aos pássaros que cantam,
À vida que nasce,
Este meu viver...

E, por momentos,
Terei a breve ilusão
De ser poeta,
No primeiro dia
De mais uma primavera

EME

domingo, 20 de março de 2011

Adianto a hora na Primavera;
Atraso a hora no Outono;
Só não consigo adiar o Tempo que me rouba tempo de vida!
Por isso, vivo esta hora que adianto, em duplicado, para ter mais tempo, do Tempo roubado.
EME

O HOMEM QUE VIA COM O PENSAMENTO


Foto by Simão Carvalho - INSTAGRAM 2 - "O pior cego é aquele que não quer ver"


São 18 h de um dia frio, chuvoso!
Quero chegar a casa!
Só penso naquele banho quente, aconchegante.
Estou exausto...o meu corpo não anda...arrasta-se!
Aperto o fecho do blusão, cruzo os braços , encolho os ombros, aconchego-me e caminho lentamente pelos túneis do metro.Quero chegar rapidamente a casa, mas não consigo andar mais depressa...pensei..."que bom seria a telepatia!" Estou aqui...l segundo...já estou lá...
Vou assim embrulhado nesta letargia consciente e totalmente desprendido do que me rodeia. Não vejo rostos, vejo sombras; não oiço sons, oiço ruídos. Quero manter-me neste estado para que não tenha que perceber e enfrentar a vidas dos outros, mundos que correm ao meu lado. Quero este meu casúlo, apenas isso! Nele, posso viver em qualquer estação do ano, posso colorir as emoções de todas as cores e posso escolher os acordes musicais para me embalarem.
- Cuidado! Não vê? - Sou literalmente sacudido por esta voz .
Olho em frente e, ali mesmo, está uma homem encostado à parede. Tem um ar elegante, altivo. O cão, a bengala e os óculos escuros rotulam a sua condição : invisual!
Apercebo-me da ironia da sua frase:" Cuidado, não vê?" . Ele invisual, pergunta-me a mim, que nem óculos para ler preciso, se não vejo?
Páro junto a ele...o meu cansaço foi-se....o meu corpo aqueceu de repente e a pressa de chegar a casa, tornou-se uma quimera.
Como por magia, à minha volta há vida, há rostos...identifico a solidão, a falta de fé, o abandono...vejo também rostos plenos de desejo, expectativas, possibilidades...
- Sabe já fui como o Senhor! - (diz-me) -  ...já tive olhos, mas nada via. Hoje, os meus sentidos estão cegos, mas a minha alma vê tudo.
Levo um soco no estomago! A rudeza daquela verdade corta-me , fere-me!
Escosto-me ao lado dele e fico assim, em silêncio, longos minutos...no chão um amplificador toca "Unforgettable". Perfeito!
...
São 18h de um dia frio e chuvoso!
Corro... cheia de vitalidade por aquele túnel. Oiço vozes, conversas, sussuros. Pisco o olho a uma rapariga lindissima que me retribui o olhar...sorrio!
Vejo-o! Está lá...com a mesma postura, o mesmo companheiro, o mesmo amplificador.
 - Olá! Que queres ouvir hoje? - pergunta-me
 - Olá! Escolhe tu! Hoje apetece-me sonhar! - respondo-lhe
 - Ok!
E, de repente, por um amplificador colocado no chão de um túnel , saem acordes musicais que me transportam para um mundo onde tudo acontece, onde tudo se vê, mas apenas com o coração!

EME
( Texto inspirado na foto de Simão Carvalho, a quem agradeço a sua disponibilidade em me ceder a sua arte)

sábado, 19 de março de 2011

A TI PAI!

PAI


Todas as mais belas canções
Todas as mais belas palavras
Todos os mais doces gestos
São pouco perante TI!

O teu Amor é do tamanho do infinito Universo;
A tua Generosidade é do tamanho de todos os Oceanos
A tua Lealdade é do tamanho das areias de todos Desertos
E todos os segundos, de todas as horas, de todo o tempo passado, presente e futuro
São pouco para eu RECEBER tudo aquilo que me DÁS!

EME

quinta-feira, 17 de março de 2011

SOU...



ÁTOMO (autor desconhecido)
 

Sou...
Pensamento
Em corpo

Sou...
Uno
Em divisão

Sou...
Côncava
Em convexo

Sou..
Luz
Em escuridão

Sou...
Neutrão
Em átomo

Sou...
Mensurável
Em tempo

Sou simplesmente
Um pouco do nada
Que tem tudo!

EME

quarta-feira, 16 de março de 2011

MUTILAÇÃO

DEDICADO A TODAS AS MULHERES


A ti Mulher
Que um dia
No afago de um abraço
Sentiste o sopro do prazer oferecido

Teus seios
Firmes
Sensuais
Deram tudo
O Prazer
O alimento
A inspiração do artista

Sem aviso
És violada
Por um monstro
Criado dentro de ti
E sem aviso
Mutilam-te
Roubam-te a sensualidade
Ficas meia...
Incompleta...

A ti Mulher
Que um dia
Deitaste-te completa
E acordaste desfeita...
Para ti
Que outrora
Gastavas tempo
Contemplando
Acariciando
Essa fonte de prazer
Agora,
Foges do maldito espelho
Que te mostra o vazio
E à noite
No silêncio da escuridão
O medo chegará
Com a ausência de uma mão...

Quero dizer-te
Que nada se perdeu
Apenas se transformou...
És bela assim
Mesmo mutilada
És completa
Plena
Na essência daquilo que és
Quero dizer-te
Que uma noite
Na escuridão
Uma mão chegará
E como brisa do mar
Soprará
E tudo ficará
No seu lugar

EME

NUDEZ

"Alma nua"(autor desconhecido)


Temos vergonha de despir o nosso corpo e mostrar a nossa nudez física, perene, mutável.As marcas da passagem do tempo, torna-nos vulneráveis à apreciação.Queremos manter a imagem da perfeição, de um corpo sensual, motor do desejo.Mas o tempo, como um pintor, vai dando pinceladas na nossa tela e aos poucos, somos um quadro com cores amareladas, gastas pelo tempo de exposição à luz.Procura-se então enganar o tempo e vamos para as mãos de restauradores, tentando recuperar a peça de arte.
Queremos ser aquilo que aparentamos!
Temos vergonha de despir a alma e mostrar as suas fragilidades, as suas emoções, as suas necessidades.As marcas do tempo, torna-nos mais sensatos e por isso, mais escondemos essa nudez.
Queremos que nos vejam como pessoas seguras, confiantes e triunfadoras.A possibilidade de alguém nos ver frágeis, quebráveis como folhas secas de Outono, faz-nos vestir capas de muitas cores, nenhuma da cor da nossa verdade.
Queremos aparentar aquilo que não somos!
A nudez física é muito menos chocante que a falta dela, no que o concerne à nossa alma.
Enquanto que a primeira é efémera e facilmente esquecida, a ausência da outra é devastadora e aniquiladora!
Prefiro ser uma tela gasta que ninguém olha, mas que emana a verdade daquilo que sou realmente!
Quero a minha alma nua, totalmente despida para que possa existir plenamente.
Abdico do restauro fisíco em função da reconstrução diária da minha alma!
EME

terça-feira, 15 de março de 2011

RITUAIS...PALAVRAS

"Mulher à janela"by Dali


 Sentei-me à janela...
 Deixei o vento entrar...
 Voaram as folhas de papel...
 Soltaram-se as palavras...
 Libertaram-se as letras!

 E, de repente
 Surgiu o teu nome
 Em forma de amizade!

Sentei-me à janela
Deixei o vento partir...
Cativei o teu nome
E tornei prisioneira a tua amizade!

E hoje, na muralha do meu coração,
Moramos juntos!

E numa folha de papel
As letras formam palavras
E as palavras escrevem o TEU NOME!

EME (escrito a 8 de Novembro de 2010)

O TEMPO

"The persistence of memory" by Dali

 Vinte anos...
 Olhei em frente...
 Vi Tempo...
 Muito Tempo
 Gastei-O
 Consumi -O
 Sem pensar
Sem questionar!


Trinta anos..
Olhei para a frente...
Vi a vida que em mim nascia...
Vivi essas vidas transformadas em Tempo de vida!

Quarenta anos...
Olhei para a frente...
Vi o Tempo que era muito Tempo
Transformar-se em dias que voavam...
E vivi em mim , cada da hora desses dias....

Voam,
Voam,
Os dias que passam


Hoje, olho em frente....
Vejo anos, transformados em horas...
Vejo horas, transformadas em minutos....
E a vida corre, voa, desaparece....

Hoje vivo !
Vivo cada segundo como se fosse o Tempo
Esse Tempo dos vinte anos...
E o Tempo da minha vida
São momentos únicos, intensos
Como se a Vida já não tivesse mais Tempo.

EME

segunda-feira, 14 de março de 2011

O QUE NÃO SE EXPLICA





Foto( autor desconhecido) - "Nuvem Coração"

Procurei na Linguística:
Sinónimos, Adjectivos, Verbos, Pontuações...
Nada definiu!

Então, procurei na Matemática:
Fórmulas,Equações,Adições,Subtrações,Multiplicações,Divisões
Números Pares, Ímpares, Primos, Finitos, Infinitos
Nada resultou!

Olhei a Ciência :
Formulei Hipóteses: testei -As, formulei Teorias: apliquei-As
Nada concluíu!

Talvez na Fé :
Orei, Acreditei, aceitei Dogmas,
Nada  sentiu!

Ah...faltava a Filosofia, pensei :
Metafisíca, o Ser, o Nada, o Conhecimento, a Ética, a Estética,
Nada  reflectiu!

Cansei o espiríto...
Cansei o corpo...
Queria a apenas a explicação
Para entender o razão!

Repousei...
Deixei o tempo passar.
E, de repente, vi que não tinha visitado um lugar...o meu coração!

Ali estava a resposta:
Cristalina!
Transparente!

Aquilo que a Razão não conseguia explicar, só o Coração podia entende!
Tudo fez sentido, tudo ficou no seu lugar.
E eu entendi este meu Amar!

EME

sábado, 12 de março de 2011

AO LUAR


"Noite ao Luar"by Walnize Carvalho
 Numa noite ao luar
encontrei um Trovador
de harpa na mão...
Encantou-me
cantando,
poesias ao luar*
Soavam as palavras
como notas musicais
suaves...
doces
como a brisa do mar*
As palavras
vestiram o meu corpo
de sedas finas...
meu cabelo adornado
de frágeis flores silvestres...
e odores de jasmim
o transpirar*


Noites de luar...
em serenata,
o meu sono embalava
com  palavras saídas
em acordos poéticos musicais*

Ó Trovador
Das mil palavras
Ó Trovador
Das mil poesias
Vem ao meu encontro
Tocar...
Que nesta janela do Sonho
Continuarei a esperar...

E depois sem demora,
Meu corpo vou transformar ...
Vou ser pauta...
Vou nota...
Para tuas sinfonias guardar*

E, num dia sem principío e fim,
Nas tuas mãos,
Em composições poéticas,
Serei sempre tua
Numa eterna serenata de poesia
Numa noite ao luar!

PALAVRAS SOLTAS

Desenho de Kelly Rae
Pego nas letras!
São peças de puzzle,
desconectadas,
Sem sentido.
...
Alinho o pensamento;
Suspendo a emoçao;
Quero-as juntas
Com lógica
Estruturadas...

...
Saem frases.
Nada são!

...
Recomeço...
Transformo as frases
Em letras soltas
Suspendo o pensamento
Alinho a emoção
E solto palavras

Ficam à solta
Sem lógica...
Sem sentido...
São espelho de alma
Em combustão.

EME

sexta-feira, 11 de março de 2011

POESIA POUCO POÉTICA!

Foto "THE NATURE OF THE WORD!
Agora,
Neste momento,
Invicíveis...
Dominadores...
Seguros...
Confiantes...
Tudo ...
A lógica perfeita.


Num segundo....

O nada...
O vazio...
A nudez...
E o que era Tudo, evaporou-se...

Somos tão frágeis
Somos tão efémeros
Somos tão voláteis!

Num momento
Tudo!
Num segundo
Nada!

Quero
Num momento
Prender em meus braços 
Tudo
Porque num segundo
O Tudo
Já não estará!

EME
( homenagem singela ao Japão no dia em que o inferno desceu à Terra)

ACTO DE CONTRIÇÃO



Há dias assim...
Acordamos dentro do nosso casúlo, olhamos para o nosso umbigo e julgamo-nos únicos no sofrimento.
Tentamos injectar doses massivas de optimismo e nada resulta.
Tomamos um banho bem demorado, perfumamos o corpo,  vestimos a pele com a mais bela lingerie, adicionamos adornos para nos melhorar o estado de alma.Nada resulta!Olhamos o espelho e não gostamos do Eu refletido! Estamos em pleno mito de Narciso, só que inverso....não gostamos de nós!
Nada mais existe para além deste casúlo....
Vã e ignóbil prepotência!
Lá fora o mundo acontece e há dias, em que acontece da pior forma!
Num outro lugar, pessoas como eu, estão a enfrentar a vida de cabeça erguida, estão simplesmente a viver mais um dia do resto das suas vidas.E de repente, numa fracção de segundos, tudo desaparece.Deixa de existir o amanhã, literalmente!
A notícia é uma chicotada a seco.Um murro no estomago!
Enquanto procurava alimentar a minha insatisfação, fechadinha no meu casúlo, no mesmo momento, o mundo acabava para milhões de pessoas!
Assaltaram-me emoções diversas!
De terror , de angústia, de profunda tristeza por assistir quase em directo, à força da natureza que mostra o quanto somos efémeros e frágeis.Por outro lado, uma enorme humildade perante a coragem de quem sobrevive a uma horror daqueles e ergue a cabeça para enfrentar um amanhã sem futuro.
Saio do meu casúlo...agora com uma grande lição...hoje, neste momento, neste segundo, sou abençoada e nem sempre vejo isso!
E quero todos os dias lembrar-me disso para quando olhar o espelho e não gostar do Eu , lhe diga:
- Faz-te à vida que a morte é certa!

EME
(singela homenagem ao Japão)

quinta-feira, 10 de março de 2011

tindersticks - travelling light

MANIFESTO DE REVOLTA DA EME II



Nada mais me incomoda do que a ignóbil arte do engano!
Prezo numa sociedade, a Justiça cega , a Liberdade Individual, o Bem Comum, o Mérito reconhecido e Oportunidades iguais!

Vivo num país que, para grande desencanto meu, todos estes conceitos se degradaram de tal forma que hoje, vivemos de mentira, de engano e de manipulações corrosivas.

Falo com o direito que me é conferida a minha liberdade de ser totalmente independente, de não pertencer a cor nunhuma que não seja a do Humanismo.Neste sentido, falo de forma imparcial e em consciência.
Trabalho , produzo, pago mensalmente os meus impostos!Portanto, até aqui, sou livre porque cumpro integralmente com os meus deveres de cidadã!
Perante isto, manifesto a minha total REVOLTA perante:

 - OPORTUNISTAS PARASITAS que se agarram a um partido para conseguirem um lugar ao sol.E quando o conseguem, são ainda  mais parasitas;

- PARTIDOS POLÍTICOS que a sua agenda tem apenas um ponto : votos e mais votos para não se perder os lugares na Assembleia da República;

- INCOMPETENTES GESTORES do dinheiro dos meus impostos;

- AUSÊNCIA DE VALORES dos que , por voto livre, usam e abusam da boa vontade de um povo que apenas deseja ser bem governado;

- CEGUEIRA COLECTIVA que tolda os espírítos e os impede de ver , sentir e cheirar a podridão dos governantes deste país!

Sou apologista de movimentos cívicos que, de forma indenpendente, unem forças e lutam por verdadeiras e nobres causas.No entanto, fico sempre expectante !Aguardo!E a minha sábia espera dá-me o sabor da desilusão! Tal como na savana Africana, as hienas matreiras, escondidas esperam o momento oportuno para , no rescaldo de uma caçada de leões, aproveitarem e comerem à borla.Aqui, as hienas são os partidos políticos que à espreita, se aproveitam desses movimentos cívicos e comem à borla, mais um pouco de protagonismo!
BASTA!BASTA!
Quero que o meu grito seja ouvido e a minha revolta sentida!

Não tenho medo do FMI.Aliás quero que venha e já!!!
Dizem os comentadores, os entendidos na matéria que a vinda do FMI é mau para a nossa independência, etc...etc...!Pergunto: mau para quem???Para mim e para milhões que trabalham , produzem realmente e cumprem religiosamente as suas obrigações, não é de certeza!
Mau para nós, é continuarmos a ser governados pela mediocridade corrosiva e cada dia que passa, menos futuro temos para dar aos nosso filhos.
Agora, se vem o FMI, os tachos associados às Fundações não sei do quem, às Empresas Público-Privadas, aos Institutos para tudo e para nada, para esses sim, é o fim das mordomias que o meu trabalho paga!Acabam-se as vidinhas de glamour e de futilidade que a permissividade desta sociedade, está a consentir!
Que venha o FMI e acabe, de vez, com a impunidade que virou a lei!

Que saudades que tenho meu amigo Platão da tua REPÚBLICA!
Estou a reler-te e enquanto faço isso, a réstia de fé e esperança que tenho, ilumina o meu espírito para que esta revolta não me corroa como ácido sulfúrico!
EME

quarta-feira, 9 de março de 2011

PORQUE ESCREVO!



Questiono-me porque sinto esta necessidade quase visceral de escrever, de materializar o meu pensamento!
O confronto com uma folha branca de papel é profundamente doloroso!
Sei o que quero escrever, sei as palavras de cor, sei o princípio e o fim, mas sofro ao olhar para aquele papel que se me afigura estranho, desafiante.É como se me dissesse :
- Estou aqui...és capaz de me preencher, de me transformar numa história?
Sinto o pensamento a explodir, como se estivesse em fim de tempo e quisesse parir...
São dores de parto! Difíceis!

Procuro a justeza e clareza do meu turbilhão para que possa fazer sentido.Sem isso, seriam apenas emoções, estados de alma em bruto.
Ando sempre com um pequeno bloco a que docemente lhe chamo "Livrinho dos segredos".
Nele caí em bruto, o meu pensamento, o meu sentir, o meu Eu caótico, desalinhado.
Julgo que às vezes, até me acharão louca...encostada a um canto qualquer, bloco na mão e uma caneta,  totalmente abstraída do que me rodeia. Nesse momento, mergulho num infinito azul e a minha alma nada em àguas profundas. Sinto-me a sucumbir, sem oxigénio, quase afogada ...
Quando, por fim, emergo, respiro fundo e... renovo-me...transformo-me, como fosse uma borboleta saída do casúlo.
A apartir daí, a minha escrita é espelho da minha alma...nua...totalmente despida de vergonha...sou Eva sem o Pecado Original.
Fui durante anos, um vulcão em estado latente, adormecido. Faltava-me a coragem de saltar para o abismo ...
Hoje, a minha alma anda nua na rua, livre e quanto mais se mostra, mais se desnuda.
Estou bem assim...Sou em Pleno, em Verdade e escrevo simplesmente porque preciso alimentar a minha alma e sem isto, morro!


EME

MULTIVERSO

(Concepção artistíca sobre a teoria de Multiversos  - Albert Eisntein Mais observações cosmológicas e filosóficas - autor desconhecido)



Quero....
Sim, quero!
Posso...
Não, não posso!

No hiato entre o Querer e o Poder
Estou simplesmnte assim
Suspensa...
Flutuando...
Nas asas da indefinição

Que a Vida decida
...
E nada mais restará
Apenas
Multiverso!

EME

terça-feira, 8 de março de 2011

AQUI ESTOU....


Aqui estou...
Imperfeita na minha condição humana
Inquieta na minha condição de conhecimento
Incompleta na minha condição de sentimento

(...)

Aqui estou...
De alma nua
Sem vergonha
Sem mentira

(...)

Aqui estou...
Plena no meu Desejo
Única no meu Amar

(...)

Aqui estou...
Em perspectiva
Em mutação
Aqui estou simplesmente
Como àgua de um rio
Num movimento perpétuo
Num sonho sem fim....

(...)

Aqui estarei um dia
Perfeita!
Completa!
Plena!
Mas apenas na condição de cinzas
Deitadas ao Mar!

EME

segunda-feira, 7 de março de 2011

NÓS

 Somos simplesmente diferentes!

Nós mulheres...
 Queremos que a lua brilhe todas as noites!
 Desejamos ser desejadas!
 Amamos com o coração!
 Somos palete de cores,
 Nuances,
Obra incompleta
Sinfonia por acabar...

Vocês Homens...
Querem a lua!
Desejam o desejo!
Amam com a razão,
São a certeza,
A verdade objectiva
A linha recta...

E  no fim, afinal...

Nós não somos nada...

Se a lua não fôr nossa...
Se o Amor não tiver desejo...
Se a certeza não fôr colorida...
Se a razão não entender o coração...
Se a sinfonia não fôr ouvida!

Nós...afinal não somos nada,
Um sem o outro!
Porque aquilo que nos completa está na diferença que existe
Entre...
O Tu e o Eu!

EME
(Escrito a27 de Dezembro de 2010)

SER MULHER

Pintura  figurativa by Raquel Martins



"Dedicado a todas as mulheres que não se definem e aos homens que as entendem!"



 Simplesmente não te consigo definir para que possas ser entendida!
 Na complexidade da tua definição, reside a essência daquilo que és!



Queria definir-te para que fosses fácil de entender,
Queria definir-te em adjectivos de todos os graus,
Queria definir-te em pautas musicais e partituras,
Queria definir-te em obras de arte para ser admirada!



Foste a menina de tranças e laçarotes
Que pintavas os sonhos de princesa em bonecas de pano!

Foste a menina que olhava ao espelho
E o corpo transformado
Mostrava-te outro Eu!

Tornaste-te outra...
És agora mulher!

O teu corpo
É mil e uma histórias para ser descobertas...
O teu coração
É uma fonte inesgotável de amor...
A tua alma
É o porto seguro em dias de tempestade.

És dificil de definir...
Mas tão fácil de entender!

Queres  apenas...
 Uma mão quente para aquecer os teus dias,
 Um abraço ardente que mate a sede da tua paixão,
 Uma doce ternura que te embale o coração,
 Um  silêncio que te faz faça companhia na solidão!


Eu e tu, somos assim...
Dificeis de definir
Mas tão fáceis de entender!!!!!


EME
(Escrito a 27 de Dezembro 2010)

SER HOMEM

Pintura de Herbert James Draper "the Lament for Icarus"1898

 Olham-te e vêm em ti fortalezas inconquistáveis...
 Procuram em ti raízes milenares...
 Exigem de ti a coragem de um herói...


Tu.. que te sentes invencível...
Tu.. que não podes nunca falhar...
Tu.. que tens o dom da verdade...

Afinal...

Queres apenas o aconhego de um colo!
Queres apenas o afago de um abraço!
Queres apenas uma lágrima no teu rosto!
Queres apenas a emoção do primeiro beijo!

E...
Porque em ti existe o menino de outrora...
Deixa que a tua dor seja sentida,
Deixa que a tua solidão seja ouvida,
Deixa que esse herói encontre inspiração,
Numa mulher
Que tomará a tua vida, na sua mão!

EME
( Escrito a 27 de Dezembro de 2010)

domingo, 6 de março de 2011

A ESSÊNCIA DO SONHO


Foto : Yan - Yen by Mikkel Bungaards Portefólio

De que são feitos os sonhos?
Gostava de saber responder!Teria na minha mão a poção mágica porque ter esse conhecimento, permitir-me-ia compreendê-los e, logo, seria bem mais fácil, ligar com eles.
O que seria da Vida, sem o Sonho?Não seria!
Nascemos, crescemos, amadurecemos, envelhecemos e, neste percurso, vamos adaptando os Sonhos à medida da nossa felicidade ou sofrimento.Tornamos a nossa realidade espelho do nosso sonho!Em limite, no maior estado de sofrimento, sonhamos com a ausência da dor, mas continuamos a sonhar!
Não aceito que haja alguém que afirme: " Deixei de sonhar!"Esta afirmação é em si mesma , negação da própria vida.
Acredito na teoria dos opostos, não como negação, mas como complementariedade dum movimento dialéctico, em que a existência de um é justificada pela presença do outro : O Belo afirma-se na presença do Feio; A Luz brilha na presença da Escuridão; A Felicidade existe quando se saboreou o Sofrimento; A Unidade tem em si mesma toda a Multiplicidade. Todo o Yan é Yen e vice-versa !
Neste sentido, a Vida existe para ser sonhada e o Sonho dá sentido à Vida. Negar isso, é negar a nossa própria essência.
Volto ao principio!
De que são feitos os Sonhos?
Não posso, nem sei responder a esta questão.A única coisa que sei é que o Sonho permite-me re-definir-me, re-inventar-me a cada momento e, na impossibilidade de realizar os meus mais profundos sonhos, pelo menos enquanto sonhei, tornei a minha vida mais rica , mais real!
Existo na propoção da minha inquietude de conhecimento" Só sei que nada sei"(Sócrates) e na fé inabalável que o Sonho " ...é uma constante da vida, tão concreta e definida como outra coisa qualquer"(António Gedeão, in Pedra Filosofal)

EME

sábado, 5 de março de 2011

A TRISTEZA MASCARADA

                          Foto (autor desconhecido)

Mascaram-se os rostos...
Adornam-se os corpos...
Forçam-se sorrisos...
Instituicionaliza-se a alegria...

Tem-se a breve ilusão
Que o mundo é folia
E ao ritmo do samba,
Samba-se sem parar

Caí o pano,
Tiram-se as máscaras,
Morre o sorriso,
Apaga-se a alegria,
E a ilusão deixa na boca,
O sabor amargo de um mundo a fingir!

END


Foto : ( Telescópio Habble - imagem de uma estrela morrendo)

Brisa...
Sopro...
Ventania...
Tempestade..
Turbilhão...

Sonho...
Eu...
Tu...
Nós...

Existimos?

Talvez...
Numa poesia qualquer
Perdida num livro imaginário
De um poeta louco
Que nos escreveu
Assim...
Perfeitos!!!

The End!

EME

PERDI-ME ...

                           Foto : autor desconhecido


Algures entre o Ontem e o Hoje
Perdi-me...

Embalei-me num canto de sereias
Deixei meu corpo flutuar
Numa insustentável leveza de Ser

Entreguei-me...

Fui sem Ser
Fui Tudo...
Fui Nada...

Retorno...

Esfumou-se o tempo que foi
No tempo que é!

Algures entre o Sonho e a Realidade
O esquecimento...
O vazio...
O Nada de Hoje
Que foi o Tudo de Ontem!

EME

sexta-feira, 4 de março de 2011

BREVE DISSERTAÇÃO SOBRE A VIDA

    Foto : EME


Comparo a Vida a uma corrente, formada por elos que se fecham entre si.
Cada elo é um momento, uma história que começa e acaba, mas que permite que outro momento, outra história , tenha inicio.
Refleti sobre a minha vida, a minha corrente!
Tenhos imensos elos interligados.Cada um dá-me a consistência de um existir pleno, intenso, verdadeiro.
Fui criança e uma guerra sem a minha compreensão, roubou-me a vida que julgava segura e certa.Fechei esse elo...e sem demora, outro apareceu , agora jovem mulher cheia de sonhos, expectativas. Cumpriram-se alguns momentos de sonho e mais um elo fechado. Perdi quem julgava ser eterno na minha corrente e o sofrimento tornou-me mais forte. Amei profundamente, apaixonei-me perdidamente e o elo do meu coração, abriu-se , fechou-se e deu a possibilidade de continuar a corrente, de continuar a amar apaixonadamente.
Hoje, não me preocupo em contabilizar os elos da minha vida.Quero apenas saber de que são feitos esses elos.
São momentos únicos, breves, intensos....
São notas musicais de uma sinfonia quase perfeita....
São vidas de outra corrente....
São encontros desencontrados...
São cruzamentos...
São...
São...
São a Vida que dá Vida à minha Vida e por isso mesmo, deixa-me profundamente reconhecida perante quem, por breves momentos se deixa prender nesta corrente que tem um nome :Elsa , simplesmente EU! 

EME

SOU...NADA

                                     Foto : EME

Nada mais existe para além deste cansaço
Que me consome a alma
E rouba-me a essência de ser...

Sou ...
O quê?
Nada...

Sou apenas guerreira de batalhas perdidas
De esperanças desventradas
De sonhos mutilados
De mundos imaginários

Sou...
Nada

Quero a invisibilidade do impossível
Quero ser o Ser de ninguém
Quero simplesmente Ser Nada!

No Nada estou plena, completa
No Nada Sou
No Nada Existo
Sem Ser nada, no Nada Sou tudo!

EME