segunda-feira, 21 de março de 2011

ESCRITA...IRMÃ DA MINHA ALMA

Foto EME ( Recantos)




No recanto deste lugar, onde os sons da primavera rasgam o silêncio, estou entregue a uma doce e saudável solidão.
Decidi vestir o meu vestido mais colorido.Tenho que entrar na Primavera cheia de cores para dar as boas vindas ao desabrochar da vida.
Óculos escuros...chapéu na cabeça. Pareço uma modeloSorrio...que vaidade...mas o momento merece isso!
Quero-me elegante, quero-me sensual, quero-me viva...
Não é a primeira vez que nos encontramos, aliás, estou sempre junto a ela. Mas hoje, é um dia especial!
É a primeira vez que nos vemos na Primavera.
Sinto a sua presença, ali...bem perto de mim! Quero olhá-la, abraçá-la, dizer-lhe que sem ela, a minha alma fica estéril, sem ela a minha vida fica incompleta.
Conheces-me bem...És irmã da minha alma...cúmplices... Sou em Ti, como És em Mim!
Nos recantos do meu Sentir, vens em meu auxílio. Ofereces-me a tua mão e no silêncio das palavras, embalas a dor, realizas o sonho!
Sou, verdadeiramente, Eu em Ti!
Despojo-me da vergonha, do pudor, do preconceito, do pré-definido e deixo fluir o meu Ser, nú, puro, livre.
Faço-te amante nas longas noites serenas.
Uso-te em forma de conhecimento, uso-te em forma de saber, mas é na forma do sentir que és mais verdadeira, reflexo de múltiplos heterónimos.
Não és perfeita, tal como também não sou.
E que importa a perfeição? - Não a quero!
Prefiro esse caminhar incerto, muitas vezes obscuro, mas profundamente libertador.

Viveste escondida numa caixa de pândora que, por magia, foi aberta e hoje, mutilar-me-ia se te encarcerasse.
Por cada letra, por cada palavra, re-invento-me, re-defino-me numa dialéctica em construção.
No final desse caminho, seremos folhas amareladas pelo tempo e estaremos apagadas na memória dos homens...mas algures num tempo que não é nosso, um trovador cantará a nossa história na forma de poesia!

EME

Sem comentários:

Enviar um comentário