sábado, 26 de março de 2011

MUDANÇA EM CADEIA

Sou profundamente crente nas pessoas e na sua capacidade de ultrapassar adversidades. É perante os grandes desafios que nos excedemos e assim, conseguimos vencer.
Como diz Ortega & Gasset :” Eu sou eu mais a minha circunstância”.Neste sentido, as circunstâncias que me envolvem, definem aquilo que Sou e como Sou.
O caminho mais fácil e, infelizmente, tão usual na nossa sociedade, é a crítica sem soluções; é culpar os outros, julgando que a priori, somos vítimas das circunstâncias e, por isso, a responsabilidade nunca é nossa.
Tem sido esta atitude que tem permitido o aparecimento de fenómenos sociais que todos nós, julgamos como insustentáveis. Mas, no comodismo típico de quem tem “mais que fazer”, sublimamos essas questões e colocamos nas mãos dos outros, a resolução desses problemas.
ERRADO…PROFUNDAMENTE ERRADO!
Talvez por educação, talvez por formação, talvez por trabalhar numa Organização que diariamente, nos coloca desafios e nesse sentido, obrigamos a ser profundamente proactivos, o que sei é que sou incapaz de achar que a responsabilidade é sempre “…do outro”!
Se acho que algo está errado, tenho a obrigação moral de o dizer, mas principalmente de apresentar alternativas de forma a encontrar novos caminhos, novas dinâmicas. Não suporto ouvir a lamechice que tudo está mal, mas quando se pergunta: o que propõe? – Resposta fatal: sei lá isso não é comigo!!!
Ontem, aqui no FB, através de uma amiga, recordei um filme “Favores em cadeia”!
Neste filme, uma criança pedia apenas que cada um fizesse alguém feliz, que por sua vez, faria feliz outra e por aí adiante. Fórmula chocantemente simples, mas verdadeiramente eficaz. Reportando este exemplo para defender a minha reflexão, afirmo: SE CADA UM DE NÓS FIZER APENAS UMA MUDANÇA, NO FIM TEREMOS MUDADO O MUNDO! “MUDANÇA EM CADEIA”
E, tal como no deserto, um pequeno grão de areia hoje, dará amanhã uma grande duna, cabe a cada um transformar-se num pequeno grão de areia. Se  amanhã tiver outro grão de areia ao pé de mim, já terei feito parte dessa “MUDANÇA EM CADEIA”
Quanto a mim, prefiro que um dia os meus filhos digam:
- A mamã lutou  no passado, para que o nosso presente fosse melhor.
E a diferença disso reside no facto de lhes ter deixado a melhor e maior herança: SER EXEMPLO.
Boa noite a todos
EME

1 comentário:

  1. Maravilhoso!
    O sorriso em cadeia tambem se transmite...um sorriso pode dar a volta ao mundo! Doença que eu transmito aos meninos...que transmitem aos pais e que transmitem...por ai fora!

    ResponderEliminar