domingo, 30 de outubro de 2011

Do que sei, do que nunca saberei e do que não quero saber!

Foto by EME "Reflexos!



Confronto.me. Questiono.me.
 Re.invento.me. De.coro.me
 Sei dessas evidências que me acompanham, irrequieta.
Do que nunca saberei… Sublimo linearmente essa ausência.
Não quero saber!... Daquilo que deveria ter sido e não foi… Do errado que se torna certo… Do espaço que não ocupo e que julgo pertencer… Dos vazios que tenho e não se preenchem… Em que medida não sou medida para ninguém… Das ausências que se tornaram permanentes… De desassossegos pessoais e desacatos alheios… Das certezas que nunca terei… … De feitos contrafeitos…
Sei como sou, nunca saberei o porquê e não quero saber daquilo que me tira a ilusão de que afinal, alguém quer saber de mim.

Sem comentários:

Enviar um comentário