sexta-feira, 28 de setembro de 2012

"Oração ao Sol"


Nuvens em flocos de algodão, brancas e cinzentas, prelúdio de uma natureza que começa a declinar, bailam como se o céu fosse uma pista de dança.
Sopra um vento ameno, misto de um quente que arrefece lentamente.
Olho em redor e vejo-o ali cabisbaixo, neste fim de tarde com sabor a Outono.
De semblante inexpressivo, sem vida, quase estátua gasta e abandonada.
Penso:
- O fim da linha! O sangue corre-lhe nas veias, mas a vida apagou-se.

Sinto ao meu redor as sombras que vão parecendo.O Sol, escondido atrás das densas nuvens, é agora um rasgo de luz, como se uma espada fosse e que pela força de uma vontade inquebrável, tivesse cortado a meio as paredes de uma prisão.
Fecho os olhos e deixo-me acariciar por este inesperado calor de luz.
 Não estou só nesta entrega.
Ele que antes, era vida esvaída, é agora um rosto erguido, vibrante, pujante, iluminado pelo raio do sol que parece só existir apenas para ele.
Fico imóvel; em suspensão. Não quero que o meu respirar perturbe aquele estado hipnótico, quase ascético que em frente de mim, acontece. O mundo em redor pára: não vejo nada, não oiço nada a não ser a voz que em mim vai crescendo.
Não sou mais eu...

...

 Perdi a fé!
 Rezei a todos os deuses;
Implorei a todos os anjos;
Cantei a mais bela Ode à divindade.
E apenas o inferno se tornou casa
O purgatório, o caminho
E o céu, a miragem.
Ardo por dentro sem calor;
Sou estações do ano sem transformação;
E o cheiro das acácias ...
Ah! onde está o cheiro das acácias?

 Afaga-me...
  Mata este frio que se fez alma
  Dá vida esta morte lenta que me consome


Penetra-me...
Quero sentir-te mulher
Amante nas noites deste meu entardecer
Nos teus braços encontrar a mansidão 
E simplesmente adormecer.

Restas-me tu, Sol!
A única carícia, o único afago, a única luz que sinto
nestes meus dias sem esperança,
onde o dia se fez noite
e a vida se tornou morte.
...

Escurece!
Abro os olhos.
O Sol partiu e no lugar daquele homem há agora uma estátua de rosto brilhante, cheio de luz a que todos chamam:
" Oração ao Sol"

Foto by José Oliveira


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Trovador deste Embalar

Toca para mim, Trovador
Dá-me os acordes dessa melodia que se faz em mim
Notas de mil encantos, cânticos celestiais.
Toca para mim, Trovador
Deixa-me bailar, redopiar,
e neste embalar, ficar.

Toca para mim, Trovador
Perdida estou,
Perdida vou ficar
Se a tua melodia se silenciar.

Foto by emefeelingflashes




De cinzento se pinta a pele e, muitas vezes, se veste a alma.

Foto by emefeelingflashes

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Faz-Te voo deste Mar

Abre a asas e voa
Nesse além que te espera
Horizonte de ténues esperanças
Presas em cordas que o mar leva
Liberdade...
Desprendimento desse esquecer
E o Azul faz-se barco
Para nele poisar o cansaço deste voo 
Que te leva p'ra lá deste olhar 


Foto by José Oliveira



Linhas da Vida

Estão escritas na palma da mãos
Mapa da vida que se escreve em linhas tortas
cortadas...cruzadas
Contam mil histórias deste caminhar incerto
É vida em linhas
Pouco entendidas
Poucos percebidas
Apenas sentidas
Que a minha vida se escreve assim
Neste novelo que não consigo desatar
E nele fico assim...
...
Está na palma da minha mão
as linhas que nos escrevem assim
E não vejo fim
à linha que em mim
Tu um dia, desenhaste em mim.


Foto by emefeelingflashes



segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A Luz que ficou ...



Houve tempos em que desta janela entrava o luar que nos banhava os corpos nus, cansados e transpirados.
Cada centímetro do nosso corpo era descoberto sobre uma luz de prata; cada gota de suor era sorvida como estrelas cadente; cada suspiro de prazer era sinfonia do universo infinito que cabia dentro destas paredes.
Deleite de amantes em noites de luar...eternos enquanto durou.
Hoje desta janela , entra luz...a que ficou para trás.
E, suavemente tecem-se rendilhados de finas teias, das teias que eu e tu, fizemos um dia



Foto by emefeelingflashes







domingo, 16 de setembro de 2012



É tempo de parar o Tempo
E dar-me de volta o Tempo
Tempo de Ti
Tempo de Mim
Viro as costas a esse Tempo
Que me afasta de Ti.

Foto by emefeelingflashes



Desfez-se o rendilhado neste mar turbulento...
Ou refez-se o que sempre esteve para ser desalinhado 

Foto by emefeelingflashes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012


Desfez-se este rendilhado neste mar turbulento ...
Ou refez-se o que sempre esteve para ser desalinhado
Foto by emefeelingflashes


quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Há em mim uma ténue LUZ que se revela na imensa ESCURIDÃO que nasce a cada noite que passa


Foto by emefeelingflashes