segunda-feira, 29 de outubro de 2012

E penduram-se à porta
cortinados de vermelho paixão
Mostra-se a Primavera
Lá dentro
reina escuridão
É Inverno gelado
Canta-se o hino do desalento
E a dor saí à rua vestida de Alegria
Foto EmE


Para Ti...Donzela de longos cabelos negros

É para ti...
Donzela de longos cabelos negros
a mais bela melodia deste violão!
A minha alma faz-se sinfonia em acordes deste Sentir.
És um pouco de Tudo.

Nos meus dias de negro cansaço
repouso em teus longos negros cabelos.
Cheiras a Jasmim das manhãs de Primavera
e no meu Outono
as folhas secas renascem em verde de florestas virgens

A tua silhueta...
 pauta de todas as notas que o meu violão quer tocar
Teu corpo são as cordas que dedilho em paixão

É para ti...Donzela de longos cabelos negros
todo este tocar, todo este cantar
que nunca será muito o que a minha serenata
em noites de luar junto à tua porta
 cantará de mansinho...
Ouve-me Donzela 
É para ti
Todo este  meu Amar!
Foto José Oliveira

domingo, 28 de outubro de 2012

"PALABRAS" Paxi Andion



20 años de estar juntos
Esta tarde se han cumplido
Para ti flores, perfumes
Pra mi, alguns libros
No te dicho grandes cosas
Porque no me habrian salido.
Ya sabes cosas de viejos
Requemor de no haber sido.
Hace tiempo que intentamos
Abonar nuestro detino
Tu bajabas la persiana
Yo apurabas mi ultimo vino.
Hoy em esta noche fria
Casi como ignorando el sabor
Del la soledad compartida
Quise hacerte una cancion
Para cantar despacito
Como se durme a los niños
Y ya ves, solo palavras
Sobre notas me han salido
Que al igual que tu y que yo
Ni se importam ni se estorban
Se soportan amistosas.
Mas no son una cancion
Que helada esta casa !
Sera que esta cerca el rio
O es que estamos en invierno
Y estan llegando, estan llegando...
Los frios.

20 años de estar juntos
Esta tarde se han cumplido
Para ti flores, perfumes
Pra mi, alguns libros

"Falling wings" - foto José Oliveira


domingo, 21 de outubro de 2012

Nos becos e vielas da " minha cidade ", ando pela noite escura.
São reflexos a maior parte das vezes o que reconheço e sinto-me segura neste mundo que me espelha a alma.
Existem as sombras...tantas vezes inexplicáveis e desconhecidas que me assustam. Parecem fantasmas!
A coragem faz-se de dor e reinvento-me sombra para a melhor entender.
Vivo nesta cidade que de dia se pinta de azul e à noite, vestida de vermelho fogo, sou vagabunda deste mundo...muito reflexo de ti, muita sombra de mim.

Foto by H2SO4




Hoje não quero mais nada
Basta-me o vazio que tenho
Talvez um dia não seja suficiente
Mas hoje basta-me…
Estou preenchida de nada
E assim deve ser.

sábado, 20 de outubro de 2012

A janela onde te vejo passar

Pode estar escuro, aqui
onde habita a tua ausência...

Abro a janela
tem cheiro a rio
tem cheiro a mar
és tu vestido de nuvem
que no meu céu flutua sem parar

E a tua lembrança...
é uma janela aberta para este azul
que me faz simplesmente, feliz


Foto emefeelingflashes

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Da Pobreza...







Nunca me senti pobre por a minha pele ser velha e gasta
Nunca me senti pobre por ter vestido de chita desbotada e cheio de remendos de outras chitas.
Nunca me senti pobre por me lavar com sabão azul e branco e a minha pele cheirar apenas a limpeza.


Nunca, mas nunca, me senti pobre por ter as mãos calejadas do trabalho árduo e as minhas pernas vestirem meias pintadas de varizes.

Mas...
Sou pobre, muito pobre porque me roubaram a esperança; porque as escadas que tenho que subir na vida têm a cor do desalento ; porque olho em frente e vejo-te sem rumo.
Roubaram-me a única coisa que me torna pobre, verdadeiramente pobre: a fé!

"Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza"


Foto emefeelingflashes


sábado, 13 de outubro de 2012

O Tango da partida

Porque te quis olhar de todas as formas
Escrever-te em todas as línguas
Definir-te com todos os sentidos
Tudo.
...
Dancei esse Tango
As notas bailaram no ar
Bailei
Redopiei
E quando o acordeão parou
Caí
Tinha chegado ao fim
O baile da minha vida
...

Nada ficou
Apenas a ausência permanente
Apenas a perda ...
Nada mais ficou

Foto emefeelingflashes

Memorial do nosso convento


Percebi que o Tempo não goza a favor de ninguém, a não ser da lembrança que se quer esquecer.
E quantas vezes queremos que se esbata na linha do tempo a memória de rostos que  fizeram a magia de momentos cravados a ferro e fogo, no memorial do nosso convento.
O Tempo faz-se…passa e nesse sótão que julgamos fechado, repousam abandonadas, as memórias que não queremos acordadas para que a saudade não doa.
Vã ilusão…esse Tempo que nos conforta com a resignação, é esse mesmo Tempo que um dia, sem esperarmos, nos arranca do entorpecimento e nos coloca nesse lugar, já marcado pela passagem do esquecimento e tudo volta ao principio...
Queremos esquecer... 
Mas cada vez mais nos lembramos que existiu um Sonho.

Foto Viriato Caramba


sábado, 6 de outubro de 2012

TRISTEZA

 "Tristeza não é chorar.
   Tristeza é não ter para quem chorar"
                                                       Mia Couto
Foto José Oliveira

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Fez-se ausente

Passou por ele uma leve pena, esvoaçante, quase invisível.
- Deixa-me ajudar-te a carregar esses fardos  - disse-lhe a pena que flutuava em frente dos seus olhos.
Olhou-a com surpresa.
 Nunca ninguém lhe tinha ensinado a partilhar fardos. Há muito que os carregava, os dele e os dos outros.
Desde de cedo que aprendera isso.Hoje, homem feito, já nem sabia distinguir os que lhe pertenciam e os que tinha herdado. Eram fardos apenas, pesados e guardados.
 Soprou de mansinho a pena que bailava ali, ao alcance da sua mão . Queria-a distante, não fosse ela perceber que nunca tinha aprendido a dividir o peso do sofrimento.
 - Não ouviste o que te disse?Se me deres alguns, eu ajudo-te. Dividimos o peso, insiste a leve pena que parecia ser feita de chumbo; o sopro para a afastar apenas a tinha  aproximado mais. Agora quase roçava  no seu rosto.

Ela não entende - pensou - eu não sei fazer isso.Nunca aprendi a dividir o peso dos fardos que em mim habitam.Não sei fazer isso! Aprendi a viver pesado, carregado.Aprendi a mostrar a leveza que não existe em mim.
- Olha, tu és leve demais para carregar alguns fardos - diz-lhe ele
A pena parou o flutuante bailado e disse-lhe:
 - Como te enganas! Testa-me! Dá-me lá alguns fardos para veres com o sou forte.Escolhe à tua vontade.
Por momentos, ficou incrédulo. Esta pena é teimosa - pensou - ela não percebe que eu já nem sei o que me pesa mais. Carrego-os , simplesmente. Cada vez mais, mais pesados, mais assustadores. Tenho medo, o fardo mais pesado, de um dia não ser capaz de os trazer dentro de mim e, como não aprendi a partilhá-los, ser esmagado pelo peso de tanta dor dentro de mim.
- Não tenhas medo - disse-lhe a pena - eu ensino-te a dividir o peso.Dá-me o teu fardo maior: o teu medo.Esse é leve para mim!

 Fechou os olhos! 
 Fez - se ausente
 Teve medo de acreditar!

Foto José Oliveira - "eyes wide shut"

quarta-feira, 3 de outubro de 2012


A metade fez-se completa
 por inteiro
 nesse chão que pisa
Sombra completa esbatida
caminhar curvado
metade concreta e definida.
E por ela passou uma poesia que sussurrou baixinho:
- Gosto de Ti por inteiro!
Foto José Oliveira