sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A ausência da Tua Lembrança


Perguntei-te a ti, Memória
Lembranças ...

Permaneceste silenciosa,
vazia,
distante.

Chamei por ti Memória!
Queria que me desses de volta
o reflexo do seu rosto,
a ternura do seu olhar,
o veludo da sua pele.

Permaneces imóvel,
Estéril,
Inexistente!

Abandonei-te Memória!
Foste cruel.
Não aguardaste o cheio da sua presença,
Não retiveste a melodia da sua voz.

Julgava-te cúmplice;
Julgava-te guardiã dos meus sonhos.
Traíste-me!
Abandonaste-me!
E, agora...
Resta-me a sombra indefinida,
a ausência de um vendaval
que por breves momentos,
Fez-me voar!


Sem comentários:

Enviar um comentário