domingo, 10 de fevereiro de 2013

O dia em que os lirios floresçam


Plantei uma Árvore!
No meu quintal!
Floriram todas as primaveras e fez-me sombra em todos os meus quentes verões.
Escrevi um Livro!
Debaixo da minha Árvore!
Nenhum best seller, apenas um livro, meu, da vida que vivi, das vidas que em mim, viveram.
Tive um Filho!
Feito de amor!
Fez-me eternidade, na minha circunstância temporal.
Uma Árvore plantada;
Um Livro escrito;
Um Filho carne da minha carne.

Passaram os anos!
O Filho na vida que agora escreve, não tem folhas para mim.
A Árvore secou e morreu e já não há primaveras, nem verões no meu quintal.
O Livro, gasto e velho, caiu no esquecimento.

Que me falta fazer?
Nada!
Apenas esperar que o dia em que os lírios floresçam junto ao túmulo  onde vou ficar.

Foto by Eme

Sem comentários:

Enviar um comentário