quarta-feira, 10 de abril de 2013

Olhar-Te


Um instante...
deixa-me agarrar num instante
tua alma de viajante

Prendo-a ...
cativa deste instante
onde me desfaço
neste desejo escondido

Olha-me...
aqui está o alento
onde te vejo nu
onde te encontro

Vem...
tenho tudo aqui
o mar para onde te levo sem fim
ao fundo de mim.

( Poema dedicado a um jovem casal apaixonado que toca pelas ruas de Lisboa e ao autor da fotografia que captou o olhar que me inspirou)

Sem comentários:

Enviar um comentário