sábado, 29 de junho de 2013

The last day of the beginning



Despeço-me gentilmente deste dia, o último dos meus 18.615 dias de existência.
Um de tantos que me fizeram assim.
Não comemoro o que está para vir porque o futuro é um ponto de interrogação.
Quero celebrar o passado, cheio de pontos de exclamação e este presente de dias que me reinventaram e preencheram vazios dentro de mim.
Descobri :
Que a vida é uma folha branca de papel onde cabe tudo o que lá dentro quisermos pintar.
Descobri :
Que a vida é uma viagem sem destino porque o Destino a quer assim.
A minha viagem está sempre a começar e o Destino traz-me todos os dias, novas terras para descobrir.

Não sei como serei lembrada um dia que viaje para sempre, mas sei como recordarei estes meus 51 anos e, se tivesse que escrever um livro a partir daqui, começaria necessariamente assim:

Era uma vez um oceano imenso, tão imenso como é o infinito , onde os finitos dias se fazem dentro deste barco que nos leva para além do horizonte.

Ergo a minha taça aos meus 51 anos que me fizeram navegar.

Foto By Eme

1 comentário:

  1. é hoje o dia, o dia de ser, de acontecer, dia sem rede a lavrar loucuras, esquecimentos e todas as certezas a procurar pelos teus mapas de pele, dia sem ontem ou amanhã para que hoje seja todas as unidades de tempo possíveis, dia de ser assim mesmo - apenas e simplesmente.

    parabéns querida amiga poeta-fotógrafa!

    ResponderEliminar